A carregar...

ÁREAS TEMÁTICAS


A definição das oito áreas temáticas foi suportada nas perspetivas já preconizadas no Plano de Ação Regional de Lisboa 2014-2020, na Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa e nas potencialidades da Península de Setúbal.

 

 

 

Turismo - Novas perspetivas


Contribuir para a afirmação e qualificação do turismo enquanto base económica da região e reforço da promoção turística no contexto internacional. Evidenciar as singularidades e as potencialidades da região, alicerçadas nos recursos naturais e paisagísticos, no clima, na segurança, nas acessibilidades e nos principais indicadores socio-económicos, fortalecendo a sua posição competitiva mundial e o fomento de novos segmentos de turismo como o industrial e de negócios.

Setores de média e média alta tecnologia e serviços de conhecimento intensivo


Alguns dos setores em que a região é especializada designadamente os "serviços empresariais", "transporte, logística e distribuição", "energia e ambiente" e ainda as “indústrias alimentares", "mecânicas e eletrónicas" e "químicas" exibem um elevado potencial de crescimento, sendo centrais na resposta a alguns dos desafios globais. Neste quadro, a modernização, através da adoção e disseminação de novas tecnologias ou da diversificação tecnológica, devem assumir-se como prioridades a desenvolver.

Economia azul


Promover o elevado potencial da "economia azul", evidenciando a localização privilegiada da região, as oportunidades criadas pela extensão da plataforma continental e as fortes tradições de ligação às temáticas da água e do mar. Estimular o desenvolvimento dos sectores com grande potencial de crescimento e inovação, como a aquacultura, a biotecnologia marinha, a engenharia e a robótica, a construção e a reparação naval, a produção de energia, a indústria farmacêutica ou o turismo costeiro, em associação com os recursos do sistema científico e tecnológico já presentes na região.

Território e ambiente


Contribuir para uma qualificação integrada dos espaços urbanos com problemas sociais e urbanísticos e das áreas industriais obsoletas e em declínio, contemplando as várias dimensões da vida urbana - ambientais, económicas, sociais e culturais. Promover o conhecimento, a valorização e a gestão sustentáveis dos recursos naturais, assim como a resolução dos passivos ambientais nas suas múltiplas perspetivas: biodiversidade e conservação da natureza, educação e proteção ambiental, lazer, aproveitamento económico, qualificação territorial e ambiental.

Eficiência energética e energias renováveis


Promover uma cultura energética e ambiental, que se traduza na racionalização do consumo de energia elétrica, na redução do desperdício energético e na mitigação dos impactos ambientais. Estimular a produção de energia a partir de fontes de energia renováveis, explorando o potencial energético endógeno (solar, eólica, das ondas, biomassa florestal e agrícola e biogás) e o recurso a tecnologias e investimentos inovadores que conduzam a uma maior eficiência energética e ao aumento da competitividade económica do tecido industrial.

Mobilidade urbana sustentável


Contribuir para a promoção dos serviços de transporte público coletivo em detrimento do transporte individual motorizado, sobretudo nos acessos aos centros urbanos e às zonas com limitações de estacionamento. Incentivar o desenvolvimento científico-tecnológico e o uso de energias renováveis e menos poluentes, na definição de modelos e de sistemas de acessibilidade e de transportes, de pessoas e de cargas, fomentando a mobilidade urbana sustentável e inclusiva e a qualidade do ambiente urbano.

Envelhecimento ativo e qualidade de vida


Contribuir para uma melhor resposta aos desafios demográficos da região, identificando soluções que favoreçam um envelhecimento ativo e de qualidade e para uma melhor conciliação entre a vida familiar e profissional. Contribuir para o aumento da eficiência e eficácia das redes de equipamentos e de serviços sociais instaladas na região, fomentando a inclusão social dos principais grupos vulneráveis com respostas mais adequadas às necessidades da população. Contribuir para a densificação e qualificação do tecido associativo local conferindo-lhe um papel central no reforço da participação das populações nos processos de integração e desenvolvimento local.

Empreendedorismo e Inovação


O empreendedorismo e a inovação são impulsionadores do crescimento económico e da criação de emprego, contribuindo ainda para o reforço da coesão social e para o aumento da competitividade na região. Neste enquadramento pretende-se contribuir para o reforço das competências empreendedoras, designadamente competências técnicas ligadas à criação e gestão do negócio; identificar oportunidades no contexto das empresas e da região e transformá-las em novas possibilidades de negócio com agregação de valor e apoiar a instalação e o desenvolvimento de empresas.